September 18, 2006

Discriminação lógica

Posted in mulheres, notícias, sociedade at 3:01 pm by Ana

Na Madrid Fashion Week deste ano não desfilam na passerelle manequins com um IMC abaixo de 18.  Aplaudo a medida. Demonstra consciência do impacto social que o mundo da moda tem sobre as mulheres, nomeadamente as adolescentes, e tenta controlar o tipo de referências corporais que impinge nos media.

Não digo que as agências “obriguem” as modelos a regimes alimentares que as levem a parecer saídas dos campos de concentração nazis, nem que sejam as próprias modelos a transformar-se assim, propositadamente. Mas talvez as que são naturalmente (muito) magras sejam preferidas à partida…

Assim, esta medida tenta apenas que se escolham modelos menos magras (mesmo que elas sejam naturalmente assim e sejam saudáveis), para proteger a saúde das próprias e das miúdas que as idolatram.

Só não posso deixar de assinalar o cinismo de algumas pessoas como um tipo qualquer ligado à moda nos EUA que acusou a medida de “discriminatória”. [Esta palavra desde há uns tempos é muito mal usada, como se “discriminar” fosse mau, até parece que não passamos a vida a “discriminar” entre o certo e o errado, o bom e o mau, o que é melhor para nós e o que é pior, quem é o empregado mais competente e quem é o mais incompetente,…] E alguns disseram que havia pessoas (as modelos) que deixaram de trabalhar por causa desta medida. Engraçado, nunca vi ninguém queixar-se de discriminação quando uma mulher com menos de 1.70 m quer ser modelo e não pode, ou quando alguém com medidas um pouco acima do 86-60-86 gostaria de trabalhar nas passerelles e não a aceitam. Pode-se “discriminar” mulheres bonitas e absolutamente normais e saudáveis desde que seja por serem baixas de mais ou “gordas” (ou musculadas, sei lá!) de mais, mas se “discriminarem” as magras a atirar para o sub-nutridas já é uma injustiça. Certo.

August 21, 2006

Corrida Sempre Mulher

Posted in mulheres at 9:53 pm by Ana

A causa (cancro da mama) é nobre! 🙂 Dia 1 de Outubro de 2006, no Parque das Nações em Lisboa, uma corrida só para mulheres.

«Esta prova não tem carácter competitivo e pode ser disputada na distância de 4km ou alternativamente de 1km. Pode ser feita a correr ou a andar. Todas as participantes terão direito a uma t-shirt e brindes no momento de levantarem o dorsal.»

Há vários escalões possíveis, e haverá prémios de participação especiais para esses mesmos escalões.

«O preço da inscrição na prova é de 10€. O prazo de inscrições inicia-se no dia 1 de Agosto e termina no dia 24 de Setembro (máximo 5.000 participantes). Por cada inscrição efectuada serão entregues 2,50€ à Associação Portuguesa de Apoio à Mulher com Cancro da Mama.»

August 13, 2006

Olivia Lum

Posted in mulheres, produtos at 4:03 pm by Ana

Há uns dias vi um documentário na 2 sobre a Olivia Lum.

Olivia Lum

Estava no zapping, mas aquilo acabou por me prender a atenção. A história de vida dela, a iniciativa, a perseverança. Inspirou-me. Pode ser lido um artigo sobre ela na Time Magazine.

No final do programa eles mostraram um aparelho que a empresa dela (a Hyflux) desenvolveu e que permite obter água pura para beber simplesmente através da humidade do ar! Fiquei muito interessada nisto! É o dragon-fly, e custa uns 2000 $. Uma FAQ útil pode ser lida aqui.

Dragon-fly M18 Dragon-fly T16

July 24, 2006

Uns fatos de banho à maneira…

Posted in humor, insólito, mulheres, produtos, teísmos at 11:07 pm by Ana

Para pessoas com graves doenças de pele ou deformações físicas. Ou para pessoas com deformações intelectuais/psíquicas, como os religiosos.

Wholesome Wear

Bom para quem se quer afogar, ajuda a puxar para baixo.

Corte e padrões modernos e bonitos para qualquer bom cristão.

Não tão bom como uma burqa, mas há que dar tempo ao tempo.

Para aqueles que acham o corpo um pecado. Mas só o das mulheres, claro. Não há modelos para homens. Já se sabe que as mulheres não sentem luxúria. Só a despertam. Por isso há que as esconder.

A história aqui. O site dos fabricantes aqui.

May 29, 2006

Virgindade, segundo RAP

Posted in humor, imprensa, mulheres, sociedade at 3:47 pm by Ana

Na Visão da semana passada gostei muito de ler a crónica do RAP… 😀

Muito fixe a comparação virgindade homens/mulheres e virgindade/não-fazer-outras-coisas-boas. Eheheh! 😉

“Homens à esquerda”

Posted in ciência, mulheres, política, sociedade at 3:43 pm by Ana

Também na Única deste sábado, um artigo sobre um estudo interessante acerca da correlação entre número de filhas e opções políticas de voto por parte dos homens. 🙂

Parte 1Parte 2

“Licença para parir”

Posted in imprensa, mulheres, política nacional, sociedade at 3:29 pm by Ana

Também no Expresso deste sábado, parte da crónica do Daniel Oliveira. Acerca da Lei da Reprodução Medicamente Assistida:

A propósito da Lei da Reprodução Medicamente Assistida

May 2, 2006

A guerra dos mundos

Posted in mulheres, política, sociedade, teísmos at 10:34 am by Ana

Uma entrevista a Ayaan Hirsi Ali, a deputada holandesa-somali que trabalhou com Theo van Gogh [assassinado há cerca de 1 ano] num filme sobre as mulheres e o Islão está disponível no site do Expresso. Pode ser lida aqui.

«A reforma islâmica virá da Europa

(…)

GV:Como lida com essas ameaças?

A.H.A.: Nasci num país muito pobre, a Somália, onde nunca soube o que era liberdade de opinião. Continuo a achar extraordinário poder dizer o que penso e o que sinto. Além disso, o facto de o meu governo me proteger dá-me força. Em qualquer país muçulmano, eu seria decapitada por aquilo que tenho dito: na Somália, no Paquistão, na Arábia Saudita e até na própria Jordânia.

(…)

GV: Porque é que tantos muçulmanos que vivem na Europa parecem ter desprezo pela Europa?

A.H.A.: Na América, é-se americano desde que se lá entra. Na Europa, a maioria dos imigrantes quer sempre regressar à sua terra natal. Em consequência, são sempre acolhidos como meros «visitantes» nas suas novas sociedades. Se uma pessoa não se defende sozinha na América, se não ganha o seu dinheiro, está literalmente morto e fracassará. Na Europa, o estado social distribuiu dinheiro generosamente, deixando os imigrantes num estado de espírito passivo. O seu «modo de ser diferente» é encorajado pelos sacerdotes islâmicos importados, que lhes dizem que não têm nada de comum com os infiéis.» (…)

April 24, 2006

O cérebro maternal?

Posted in ciência, imprensa, mulheres, up close & personal at 11:09 pm by Ana

Hoje fui estudar para a FCUL. A minha capacidade de concentração em leituras que não procurei activamente geralmente é muito baixa. Começo logo a deambular pelos meus pensamentos, começo a pensar nas coisas que tenho que fazer, como e quando as poderei fazer melhor, começo a dispersar-me por ideias de coisas que quero fazer, projectos e assim… Digamos que para mim estudar é um grande exercício de auto-disciplina. 😛 Estou sempre a dizer para mim própria: "Ana, pára de pensar nisso e pensa mas é naquilo que tens à frente para ler!". É uma luta interna constante. Geralmente quando vejo que a coisa não está mesmo a funcionar opto por ceder um pouco e faço um intervalo. Vou aos PCs, ou vou folhear as revistas e/ou alguns livros na livraria, ou vou à secção de periódicos da Biblioteca Central e "perder-me" um pouco em leituras nas revistas tipo National Geographic ou Scientific American. 🙂 Às vezes os intervalos são longos, outras vezes são mais curtos mas em grande n.º. Isto sem contar os intervalos apenas "mentais", enquanto tenho os livros à frente. 😛

Bom, é geralmente nestes intervalos que encontro alguns artigos giros, depois tiro fotocópias e quando chego a casa partilho-os afixando-os na minha "casa"! 🙂 Como este!

Pelos vistos a maternidade pode remodelar o cérebro feminino, tornando-o mais eficiente em determinadas tarefas. E estes benefícios talvez sejam permanentes! E, atenção, o cérebro dos pais também poderá ver-se beneficiado de modo similar por cuidar dos pimpolhos! 😉 Eu achei muito interessante este artigo. 🙂

The Maternal Brain - Parte 1 The Maternal Brain - Parte 2

The Maternal Brain - Parte 3 The Maternal Brain - Parte 4

The Maternal Brain - Parte 5

The Maternal Brain - Parte 6 The Maternal Brain - Parte 7

[Entretanto o Bruno descobriu como scannar as coisas com melhor qualidade e por isso penso que isto estará mais legível agora. 🙂 Aproveito e vou voltar, logo que possa, a scannar o artigo do "This Thing Called Love", que não ficou muito legível da outra vez.]

April 22, 2006

“Working Girls”

Posted in mulheres, sociedade at 4:24 pm by Ana

Através do Expresso encontrei este artigo na revista Prospect.: "Working Girls" by Alison Wolf. Recomendo vivamente a sua leitura. 🙂

«For the first time in history, women in developed societies can take up any occupation or career they please. This has brought enormous benefits. But it has also had some less positive consequences—the death of sisterhood, a decline in female altruism and growing disincentives to bear children

Next page