September 13, 2006

Morning motivation by Starbucks

Posted in humor, videos at 1:48 pm by Ana

Este spot está espectacular. Fazem uma paródia ao hit Eye of the Tiger, dos Survivor. 🙂

Advertisements

September 12, 2006

Mais que um sofá-cama, um sofá-beliche!

Posted in produtos at 10:51 pm by Ana

Muito fixe! 🙂

Bonbon's Doc sofa/bunk bed unit

[via Inhabitat]

O princípio do resto da minha vida

Posted in empreendedorismo, up close & personal at 7:04 pm by Ana

Hoje fiz a coisa mais autónoma, de maior responsabilidade e mais importante da minha vida (logo a seguir ao começar a namorar com o Bruno, claro).

Algo que espero me venha a permitir:

  • fazer algo que verdadeiramente me entusiasma e me dá prazer
  • investir o meu tempo, trabalho e empenho numa causa social em que acredito e num projecto com retorno visível
  • alcançar a minha independência económica
  • ter poder para fazer as coisas à minha maneira e aplicar as minhas ideias, criatividade e valores
  • ser autónoma, gerir o meu tempo e os meus projectos, trabalhar onde, quando e com quem quero
  • não desempenhar funções monótonas ad eternum, viajar, ver lugares e ideias novas, organizar coisas, estar ao ar livre

Hoje, criei a minha primeira empresa. Agora eu e o Bruno já nos podemos tratar por “ei, sócio!”, lol!

Fomos tratar de tudo através da Empresa na Hora num Centro de Formalidades de Empresas em Lisboa e o processo demorou apenas 3 horas (embora a senhora tenha dito que esta semana têm tido menos afluência que o normal). Não tivémos que escolher um nome da lista porque já tinhamos pedido (online) (e visto aprovado) o certificado de admissibilidade para o nome e objecto social da empresa. Foi tudo rápido e ficou tudo tratado. O que falta pode-se fazer online. Hurray para o Simplex! 🙂 Claro que enquanto esperávamos espalhámos mais uns CDs do UBUNTU, eheheheh! 😉

CDs do UBUNTU no CFE da Bordalo Pinheiro

Temos imensas ideias e projectos a que nos gostariamos de dedicar, mas vamos fazer isto com muita calma e ponderação. Não temos pressas, isto está a começar ainda e por uns tempos será apenas uma actividade paralela secundária. No início tinhamos pensado nisto simplesmente para ser sempre uma actividade paralela, mas a ideia cresceu e agora temos sonhos maiores. Não estamos a prever (nem a tentar :-P) enriquecer à custa disto, mas se nos pagar as contas e nos der mais gozo aos nossos dias valerá sempre a pena. 🙂 Cada vez tenho mais noção da importância de ter um trabalho adequado a nós e que nos satisfaça. Passamos a maior parte do nosso tempo e da nossa vida a trabalhar. É bom que seja em algo em que acreditemos, que nos dê prazer fazer, e onde vejamos o nosso esforço dar frutos palpáveis e ser reconhecido.

Há pessoas que podem passar bem com um trabalho de que não gostam, desde que o que está à volta (família, lazer, hobbies, etc) preencha o vazio e compense o resto. Eu não sou assim. Eu sou muito work-oriented. Os meus interesses são muito “utilitários”. Eu preciso de estar a fazer coisas de algum modo úteis para alguma coisa. É isso que me dá gozo, que me realiza. “Construir” algo. Este blog é a manifestação mais óbvia disto. Os meus posts são sempre com tendências informativas. O número de posts mais pessoais e sobre divagações mais filosóficas (que adoro escrever também) são mais raros. Aliás, cada vez mais raros, mesmo! Nota-se isso na transição do blog no Spaces para este. Muitas vezes sinto falta de escrever sobre as minhas teorias, emoções e impressões mais pessoais do mundo e das coisas. Mas geralmente essa escrita exige-me mais tempo e mais “cabeça”, algo que não abunda ao longo da semana de trabalho… 😦

Estou mesmo entusiamada com este projecto! É o melhor 3 em 1: auto-sustentar-me economicamente + trabalhar numa paixão + poder investir o meu tempo em algo que realmente ajuda a mudar o mundo! 😀 Querem melhor rentabilidade do tempo de cada um?

Acho que nunca estive tão contente e tão entusiasmada com um projecto, e simultaneamente tão ansiosa e assustada. Tenho medo de não ser capaz de resolver os problemas, de levar as coisas a bom-porto, de encontrar os filhos-da-puta deste mundo e ser enganada, abusada ou roubada, de not deliver.

No entanto, apesar dos receios, sinto que é isto que eu quero fazer, que é isto que eu tenho que fazer. Problemas tenho-os tido e resolvi-os, tenho superado as fases más, os contratempos, o desânimo, o desalento, os imbecis e os sacanas (categorias às vezes overlapping…) com quem tive que lidar e que me lixaram a vida e o juízo. Fiz (bom, estou quase, espero!) esta porcaria de curso até ao fim ao longo de muitos anos de solidão num local e com pessoas a que nunca senti the feeling of belonging. E fiz tudo so-zi-nha. Estudei e trabalhei por minha conta, e não tive abébias de colegas, nem nunca fui infiel aos meus princípios e aos meus valores. Conseguir isso, ficar com uma nota minimamente razoável e ainda não ter ido parar ao sofá do psiquiatra ou à ala dos malucos num hospital, já é um grande feito para mim. 😛

Talvez a idade e o acumular de experiências ainda sirvam para alguma coisa além das rugas. Tenho que aprender a confiar mais em mim, e nas minhas características mais marcadas, pois têm-me valido bem até agora. Felizmente tenho um namorado 7 estrelas que me dá injecções de confiança regulares. 😉

Tenho, finalmente, pela frente um caminho (ou pelo menos uma direcção) que eu escolhi totalmente e que me entusiasma, e tenho ao lado a pessoa certa para o percorrer comigo. Eu adoro viagens, e estou na melhor em paisagem e companhia. 🙂

At least today, life looks good. 🙂

Bike commuters na imprensa portuguesa

Posted in eventos & Cia, featured on Flickr!, imprensa, mobilidade, sociedade at 5:12 pm by Ana

No dia 10 de Setembro saiu um artigo no Público sobre os utilizadores “non-recreational” de bicicletas em Portugal. Pode ser lido aqui:

P.S.: Mais um passeio de bicicleta. No site da FERTAGUS:

Passeio Pais e Filhos

«No âmbito da Semana da Mobilidade a Fertagus irá promover em conjunto com o Clube Ciclismo de Almada, um passeio de bicicleta no dia 16 de Setembro pelas 10h. Este passeio terá partida na estação do Pragal, com direcção ao Parque da Paz em Almada e regresso novamente à Estação do Pragal, onde será sorteada uma bicicleta de criança.

O passeio denominado “Passeio Pais e Filhos”, tem como propósito sensibilizar a faixa etária mais jovem para as questões de deslocações e do ambiente, tendo também como objectivo proporcionar uma manhã de saudável convívio entre as crianças e os pais, num animado passeio de bicicleta.»

September 11, 2006

A vida é uma montanha russa com algumas partes flat

Posted in eventos & Cia, movimentos, up close & personal at 10:28 pm by Ana

Por vezes a minha vida anda um aborrecimento, nada acontece, é uma seca. De repente, quando aparece uma oportunidade, um projecto, um evento, é tudo ao mesmo tempo.

A viagem, e agora o regresso com montes de cenas pra fazer. Coisas da casa, coisas do carro, coisas da escola, coisas de projectos pessoais e profissionais,… Logo na 6ªf sou recrutada para uma entrevista para um artigo sobre sofware livre numa revista. 🙂 O pessoal ainda pensa que eu sou uma geek. 😛 A propósito, dia 16 é o Software Freedom Day! Cá em Portugal, nomeadamente Lisboa, o programa das festas parece-me muito fraco… Falta aí umas LIPs (Linux Instalation Party) e cenas do género! Amanhã vem cá o Eng. Rui Milagre, do projecto EcoCasa, e na 6ªf há uma sessão de apresentação do Relatório de Progresso do programa EcoFamílias!

No dia 17 é o Dia Sem Carros e vamos pedalar para a Marginal!! 🙂 No dia 20 há uma conferência do ciclo “A Ciência e a Cidade”, na Gulbenkian. De 29/09 a 01/10 quero ir ao fim-de-semana aberto em Tamera!

E amanhã é um dia muuuuito importante para mim e para o Bruno… 🙂 Amanhã blogo mais. I hope! 😉

Lisboa e as bicicletas

Posted in eventos & Cia, featured on Flickr!, mobilidade, política nacional, sociedade, videos at 9:50 pm by Ana

Ontem lá fomos à Lisboa Bike Tour

À espera na ponte

Não posso dizer que tenha gostado muito. Achei fraco, mal organizado, desinteressante, e sem o ambiente de celebração que se esperava. Não sei o que terá pensado a maioria dos participantes, mas o entusiasmo que a iniciativa despertou foi imenso, as 4000 inscrições esgotaram em 9 dias e o meu post neste blog teve imensos hits (695 só desde o dia 4 de Setembro).
À noite vi a peça da RTP sobre o evento (eles disponibilizam os videos dos telejornais, mas há umas semanas mudaram o sistema e agora aquilo não funciona em Linux; bimbos do caraças…), mas o que se mostrou não traduz o que aconteceu para todos os participantes. Só o pessoal perto da linha de partida é que teve direito a música, animação, e sinal de partida, bem como “recepção” à chegada.

As bicicletas estavam mal montadas (as minhas, como muitas outras que vi, tinham as mudanças mal montadas, fazendo com que eu não visse nada quando as utilizava. Houve um senhor ao pé de nós a que caiu um pedal; teve sorte não ser num momento em que ele se estivesse a apoiar bem nele, podia ter-se magoado… Já para não falar na pintura riscada e nas mossas. Fartámo-nos de ver pessoal apeado com avarias ou defeitos nas bicicletas. Outros nem tiveram direito a uma (quando estávamos à espera da cena começar passaram grupos de pessoas a pé que tinham sido largadas pelos autocarros mais tarde e mais atrás na ponte e que já não encontraram bicicletas, tendo que ir andando pela ponte à procura de mais, “Lisboa Foot Tour”…). Não gosto daquele sistema de mudanças e tive dificuldades a usá-las, mas o que me lixou mais foi o selim, que era péssimo e tornou o “passeio” muito desconfortável…

Ao contrário do que anunciaram, não vimos equipas de auxílio técnico nenhumas nem antes nem durante o passeio. Vimos sim pessoas em bicicletas para assistência médica. Quem não encontrou bicicleta funcional lixou-se, e quem encontrou defeitos ou teve avarias na sua teve que se desenrascar sozinho, sem ferramentas nem nada. Se todos pagaram o mesmo e se chegaram lá até à hora estipulada, todos teriam direito a uma bicicleta em condições, ou assistência para rectificar as faltas e corrigir os problemas. Isso não aconteceu. Com patrocinadores de tão alto gabarito esperava-se mais.

A mochila que eles ofereceram também era uma chinesice qualquer. A minha tinha defeitos (faltavam presilhas), a do Bruno partiu-se quando ele puxou uma presilha.

Tirei meia-dúzia de fotos (ver aqui) e uns videos (brevemente disponíveis aqui). O Bruno lembrou-se e levou de casa uns papéis de “activismo político” que colocou no lugar das bandeirinhas dos patrocinadores. 😉

Alerta pol�tico

Acho que ninguém reparou, além de um casal que se aproximou pra ler a nos apoiou. A maior parte das pessoas ali nem em lazer costuma andar de bicicleta, concerteza, pois nem sabem circular como deve ser…
O passeio em si não foi o que eu esperava. O piso era fixe e a dificuldade do percurso foi canja (fiquei abismada quando vi pessoas na TV a queixarem-se que aquilo tinha sido “puxado”, além de ouvir os lamentos de terceiros ao longo do passeio, e pessoas a levar a bicicleta pela mão, diz muito acerca da forma física dos portugueses…). Mas a vista da ponte não era nada de especial, é mais bonita a do lado Sul do rio, a do lado Norte é feia. Então a parte já em terra, em que andámos ali às voltinhas até chegar ao Parque das Nações foi a pior. Paisagem seca, árida, cheia de lixo, prédios feios, alcatrão.

Depois chegamos ao Parque das Nações, outrora um espaço privilegiado de Lisboa, agora cada vez mais abandonado e progressivamente menos pedonal, menos silencioso, respirável e espaçoso, visto abrirem mais vias ao trânsito a cada dia. Daqui a nada é mais outro espaço típico de Lisboa, em que só se ouve, respira e vê carros por todo o lado, a circular e estacionados selvaticamente por todo o lado. No entanto, não se vêm autocarros nem outro transporte público a circular pelas vias agora abertas ao trânsito automóvel… Um eléctrico/metro de superfície (“tram”) era fixe…

Smart estacionado

[Fixe com um Smart. 🙂 ]

Carro estacionado

[Doesn’t quite work for this one, tough. E bimbos destes há praí aos pontapés…]

Este evento deveria ter sido aberto a mais gente, e para cada um levar a sua bicicleta própria. E devia ter começado do outro lado da ponte, para a podermos (todos) percorrer integralmente. Devia ser manifestação de uma preocupação e de uma tendência mais séria na direcção da promoção da bicicleta como meio de transporte privilegiado e instrumento de lazer universal. Mas não, foi apenas areia para os olhos, umas migalhas. O facto de Lisboa não aparecer na lista das cidades europeias que participam na Semana Europeia da Mobilidade e/ou no Dia Europeu Sem Carros confirma o desinteresse (embora baste tentar circular por Lisboa de outra forma que não dentro de um automóvel, nomeadamente a pé, de bicicleta ou com uma cadeira de rodas/carrinho de bebé/outro-qualquer-extra-com-rodas para sentir na pele a negligência).

Oeiras volta a participar em 2006. O programa tem algumas coisas “palpáveis” interessantes. Para além de podermos passear pela Marginal Sem Carros no dia 17 de manhã (não quero faltar!!), há umas iniciativas interessantes com a CP relativamente ao transporte das bicicletas nos comboios e à eliminição de barreiras arquitectónicas. Espreitem o programa aqui.

Também o GEOTA e a FPCUB organizam passeios neste dia.

P.S.: No Parque das Nações reparámos numa espécie de quiosque de internet… O Raspanêt, permite navegar na rua.

Quiosque Raspanêt - frente

Só achámos estranho não estar nada identificado nem bem assinalado para a função que desempenha, e o facto de não funcionar com moedas. Temos que ir comprar um papel com o código de acesso a um sítio que não pareceu estar indicado em lado nenhum… A nós pareceu-nos uma cena um bocado imbecil… Já estou a imaginar a utilidade que aquilo tem para os turistas (sim, porque um não-turista não vai para o meio da rua, sujeito ao clima e sem se poder sentar, ver os mails ou conversar no messenger…) … Enfim.

September 9, 2006

I’m back in town

Posted in up close & personal at 7:17 pm by Ana

Já voltámos, sãos e salvos!

Não posso dizer que tive saudades, e muito menos que estou contente por estar de volta a casa. Se pudesse nunca teria voltado de Friedrichshafen! Chegámos ontem bem cedinho de Madrid e andámos logo dentro do carro a tratar de coisas aqui e ali, metidos no trânsito (que belas boas-vindas é a 2ª circular para quem aterra no nosso país…), debaixo de um sol tórrido e no meio de paisagens absolutamente deprimentes, secas, feias, áridas, senseless.

O Bruno diz que a viagem lhe fez bem na medida em que se sente menos mal ao viver aqui, porque sabe que é possível as coisas serem diferentes, mais lógicas, mais inteligentes. Para ele, funcionou como uma injecção de esperança. Eu tenho uma interpretação totalmente oposta. Ainda fiquei a sentir-me pior, mais triste, mais revoltada. Porque agora sei (porque estive lá) que é possível as coisas serem feitas de outro modo, que é possível viver num sítio agradável, mais saudável, mais justo, mais bonito. E não percebo porque cá as pessoas têm que fazer tudo assim: áspero, hostil, feio. Não há desculpa para isto. Sinto que devo sair daqui, porque o que falta não são os meios, nem a informação, nem o dinheiro. É o espírito. E isso não se muda por decreto, por imposição da UE, ou por injecções de capital.

Tirámos mais de 3 GB de fotos e videos de toda a viagem. 😀 Agora ainda estamos a ressacar, e temos milhões de coisas para fazer, entre arrumar a tralha da viagem (lavar tenda, saco-cama, roupa suja acumulada, mochilas,…), preparar o trabalho que aí vem (relatório do estágio pra mim e ano lectivo pra ele), começar a encaminhar uns projectos em incubação, filtrar, tratar, uploadar as melhores fotos e videos da viagem, blogar!, e preparar alguns eventos para agora, nomeadamente amanhã a Lisboa Bike Tour (que parece que vai ser uma banhada porque afinal não vamos atravessar o rio Tejo, só o final da ponte!!) e no dia 17 os passeios de bicicleta integrados na Semana da Mobilidade Europeia (eu quero ir para a Marginal Sem Carros!!).

Logo ontem fui mudar os 4 pneus do meu carro e larguei logo ali mais de 200 €! Agora tenho que o voltar a levar à inspecção, a ver se agora passa… Estou farta de depender do carro. É um chupador de dinheiro, gasto balúrdios em seguro + revisões + inspecções e reinspecções + oficina + portagens + gasóleo + lavagens. Esta vida sedentária sucks! Nestes 10 dias lá fora acho que perdi 1 kg e tal, só por andar a pé para todo o lado, e a toda a hora (while enjoying it!), mesmo comendo junk food way too many times…

Ai que saudades do lago Konstanz!… :-/

By the lake

Logo que dê trato das fotos e videos e conto aqui um bocado da experiência. 😉

August 29, 2006

Leis de Murphy

Posted in up close & personal at 8:58 am by Ana

Tenho duas palavras pra vocês, meus amigos: fuso horário. Isso mesmo, fuso horário.

Perdemos um aviâo em Madrid, em escala para Zurique. Estupidamente. Coisa de newbies. Claro que a Iberia nâo ajuda…

E na melhor prova das leis de Murphy, as bagagens foram à vida. A minha mochila, a do Bruno, e o saco da tenda.

Chegar a Zurique às tantas, a um sítio desconhecido, de noite, com tempo frio e chuvoso. E eu de saia e manga curta. E sem bagagem!! E os precos aqui? Realmente esta é mesmo uma cidade cara…

Queria ter blogado antes da viagem mas nao deu. Mais tarde espero conseguir escrever mais calmamente.

Viémos à Eurobike, em Friedrichshafen, na Alemanha (relativamente perto daqui).

Há bicicletas por todo o lado!! 😀

Até breve, espero! 

August 27, 2006

Eco-parque sensorial para cegos

Posted in notícias, videos at 7:13 pm by Ana

Vi esta peça ontem no telejornal da Sic. Um jardim preparado para deficientes visuais, na aldeia da Pia do Urso na Batalha. O video está disponível aqui.

August 26, 2006

Um novo mundo desponta

Posted in ambiente, eventos & Cia, mobilidade, videos at 10:21 pm by Ana

Hoje fui dar a uns videos de uns carros “alternativos” que já referi aqui antes.

Adorei ver este sobre o Carver One, no Top Gear, um programa da BBC. Quando chegar aos 18000 $ fico verdadeiramente interessada! 😀 Outro video aqui.

Encontrei também um video do Tango, aqui, um do TESLA, aqui, e um do PIVO, da Nissan, aqui.

Tenho adicionado este tipo de videos à minha lista de favoritos no YouTube. Tenho lá também um da SUMO e um do Air Car. Enjoy! 🙂

A propósito de veículos alternativos e novas tendências, chamo a atenção para dois eventos muito interessantes [via Treehugger e Inhabitat]. O primeiro é o Chicago Eco-transportation Show, que teve lugar no dia 15 de Agosto em Chicago, EUA:

«$3.45 for a gallon of gas got you down? Chicago’s first Twike, electric and biodiesel cars, cargo bikes and other fuel-efficient and low-pollution options for commuters will be on display. View the vehicles; talk to the owners. Learn what’s really involved with owning and driving one of these greener modes of transportation. After reviewing all the options, network and socialize with others interested in sustainability/environmental issues at Chicago Green Drinks.»

Têm um link para um artigo sobre uma mulher que usa um Twike como o seu meio de transporte. Só há ainda 5 pessoas nos EUA donas de um Twike.

Twike

Por cá, a propósito da Semana Europeia da Mobilidade, temos em Faro a Exposição Energias Renováveis – Mobilidade Sustentável, de 16 a 22 de Setembro, e o Rallye do Algarve de Veículos Amigos do Ambiente (Algarve Green Vehicle Challenge 2006) no dia 22 – Dia Europeu Sem Carros. Gostava de lá ir e fazer a devida cobertura “bloguística” mas acho que não vai dar… 😦

Poster

Soube disto pelo Fórum Nova Energia, onde se discutem combustíveis alternativos aos fósseis, como o biodiesel e o bioetanol.

Nova Energia

Por sua vez soube deste Fórum através do Luís Oliveira, um membro de um outro novo Fórum online, o D-Eficiente, onde me registei depois de ver no telejornal uma peça sobre ele e o seu “fundador”, o Pedro Monteiro.D-Eficiente

Achei que era uma maneira de aprofundar o meu interesse na temática da acessibilidade e justiça social no que concerne às pessoas com algum tipo de limitação física ou cognitiva mais significativa. Depois de tomar contacto com este fórum tive acesso a muitos links sobre uma série de coisas sobre e para os deficientes. Estou a ficar mais educated neste tema. 🙂

Previous page · Next page